Economia

A data da sétima parcela do auxílio emergencial

Na pandemia do coronavírus, o governo brasileiro resolveu conceder a algumas pessoas uma assistência mensal temporária.

Tudo isso para evitar que essa parcela da população tenha maiores necessidades e para evitar maiores danos à economia. É por isso que muitas pessoas acreditam que a assistência financeira de emergência pode ajudar a recuperar a economia.

Preparamos este artigo para explicar de forma detalhada sobre a data da sétima parcela do auxílio emergencial.
O conteúdo abordará os seguintes tópicos:

O que é o auxílio emergencial?
Auxílio emergencial: quem tem direito?
Quem não tem direito ao auxílio emergencial?
Auxílio emergencial: como receber?
Motivos para a suspensão do auxílio emergencial
Data da sétima parcela do auxílio emergencial
Continue lendo para entender melhor!

O que é o auxílio emergencial?

A auxílio emergencial é um pagamento feito pelo governo federal aos trabalhadores informais, autônomos, MEI e desempregados para fornecer proteção emergencial durante a crise causada pela pandemia do covid-19.

Ele foi criado pela lei nº. 13982/2020 e suas responsabilidades operacionais são compartilhadas pelo Ministério da Cidadania, Dataprev e Caixa Econômica Federal.

Auxílio emergencial: quem tem direito?

Os trabalhadores que necessitam se inscrever no Auxílio emergencial devem ter pelo menos 18 anos e atender a todos os seguintes requisitos:
Você deve estar desempregado
Ser um trabalhador informal
Microempreendedores individuais (MEI)
Contribuintes individuais da previdência social.

Outra coisa, tenha em mente que a renda mensal dos familiares não deve ultrapassar meio salário mínimo 522,50 reais, ou a renda familiar total não pode ultrapassar 3 salários mínimos, que é 3.135 reais.

Quem não tem direito ao auxílio emergencial?

Ter um emprego formal
Pessoas pertencentes as famílias com renda acima de três salários mínimos (3.135,00 reais) ou superior a meio salário mínimo (522,50 reais) por pessoa por mês.

Pessoas que recebem seguro-desemprego.
Quem recebe seguro social, subsídios ou verbas federais de transferência de renda, exceto pensão familiar.
Concordar com a declaração de imposto de renda, aqueles que tiveram um lucro tributável em 2018 que vai além do limite máximo de 28.559,70 reais.

Auxílio emergencial: como receber?

A fim de que os trabalhadores sejam capazes de receber a assistência, eles devem:
Pessoas cadastradas no Cadastro Único (CadÚnico) ou que recebem Bolsa Família.
Para quem não está cadastrado, pode se cadastrar pelo site ou pelo app.

Para encontrar o resultado da solicitação, a equipe pode rastreá-lo no site ou no programa.
Após o pagamento, as pessoas podem verificar o saldo por meio do programa Caixa TEM.

Motivos para a suspensão do auxílio emergencial

A Dataprev irá reanalisar todos os registros após cada pagamento.
Portanto, a situação pode voltar ser aprovada ou ser rejeitada.

Embora haja uma mudança de condição, o beneficiário ainda pode recorrer da decisão através do aplicativo Auxílio Emergencial ou do site Caixa Auxilio Emergencial.

Contratação no período: durante este período, se usuário aceitar um trabalho formal ele terá o auxílio emergencial suspenso.

Seguro-desemprego: o beneficiário que passa a receber o seguro-desemprego após a homologação do cadastro não pode acumular benefícios.

Recebimento de algum seguro social: se o usuário passa a receber auxílio-aposentadoria, pensão, auxílio-doença ou transferência de renda do governo (valendo para o “Programa Bolsa Família”). Outra coisa, a regra é vale também para os integrantes da família.

Aumento da renda familiar: se por qualquer outro motivo a renda mensal de cada membro da família for superior a meio salário mínimo (522,50 reais) ou se a renda familiar total não ultrapassar 3135 reais.

INSS: a contribuição da pessoa física para o INSS ultrapassa 3.135 reais ou indica que o rendimento por pessoa é superior a 522,50 reais.

Estar sendo beneficiado por serviços prestados: o destinatário pagou mais de 3.135 reais pela empresa prestadora do serviço, ou a renda indicada por pessoa foi superior a 522,50 reais.

Data da sétima parcela do auxílio emergencial

A Caixa Econômica Federal começará a pagar a sétima oferta de socorro emergencial no dia 30 de outubro. Este benefício do governo federal é entregue para aqueles que foram entregues pela primeira vez em abril.

De acordo com o programa de pagamento de assistência emergencial ampliada da Caixa Econômica Federal, é a vez dos nascidos em janeiro receberão as parcelas de 300 reais.

Aliás, este pagamento pertence ao quarto ciclo do calendário da Caixa.
O penúltimo dia deste mês (30 de outubro) também será a vez dos outros beneficiários, que em maio receberam o primeiro pagamento de 600 reais.

Outra coisa, todos os valores serão fornecidos na conta digital do aplicativo Caixa Tem. Assim, os aprovados serão capazes de movimenta o benefício por meio deste aplicativo.

Os pagamentos podem, serem feitos em locais parceiros, cartão de débito virtuais, e também são capazes de serem usados para fazer compras em site e recorrendo também a códigos QR (espécie de códigos de barras digitais).

E aí, achou gostou deste artigo sobre a data da sétima parcela do auxílio emergencial já tinha ouvido de algum desses pontos? Deixe seu comentário, pois seu feedback é muito importante para nós!

Most Popular

To Top