Brasil Avança em Infraestrutura e Energia Renovável com Leilão de Transmissão e Novas Parcerias

Explore as últimas atualizações no setor de energia do Brasil, incluindo a aprovação da Aneel para o leilão de transmissão de 2024, a inauguração de uma planta de biomassa pela Veolia e Braskem em Alagoas, e avanços significativos em energia renovável com a Statkraft e a Petrobras.

Aneel Confirma Leilão de Transmissão para 2024 e Empresas Inauguram Projetos de Energia Sustentável.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) do Brasil deu o sinal verde para a proposta de licitação do inaugural leilão de transmissão de energia de 2024. Este evento significativo contempla a construção e manutenção de uma rede expandida de 6.464 quilômetros de linhas de transmissão e adiciona 9.200 megawatts (MW) de capacidade de transformação. A proposta aguarda agora a aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU) nos dias vindouros.

Brasil Avança em Infraestrutura e Energia Renovável com Leilão de Transmissão e Novas Parcerias
Foto- Freepik

O leilão está marcado para 28 de março de 2024 e abrange instalações em 15 estados brasileiros. Espera-se um investimento substancial de 18,2 bilhões de reais (aproximadamente US$ 3,7 bilhões).

Em um desenvolvimento paralelo, a Veolia e a Braskem deram início às operações de uma nova instalação de biomassa em Marechal Deodoro, Alagoas. Essa unidade, fruto de um contrato de 20 anos assinado em 2021, visa a geração de energia renovável a partir de biomassa. Com um aporte de cerca de 400 milhões de reais (US$ 20 milhões), a unidade produzirá aproximadamente 900.000 toneladas por ano de vapor verde, contribuindo para a diminuição anual de cerca de 150.000 toneladas de gases de efeito estufa.

Outro marco notável foi a aproximação do Brasil à marca de 8 gigawatts (GW) em projetos de geração de energia inaugurados em 2023, com um crescimento registrado de 7.799 MW. Energia eólica e solar fotovoltaica centralizada foram as principais impulsionadoras desse avanço, totalizando 7.007 MW em operação nos últimos dez meses.

O Brasil também celebrou a operacionalização de seu milésimo parque eólico. Este feito foi alcançado com a autorização de dois parques eólicos da Pan American Energy para testes operacionais, elevando a capacidade instalada total dos parques em atividade para cerca de 29 GW.

No cenário internacional, a Statkraft fortaleceu sua presença no Brasil ao adquirir a Enerfín, uma subsidiária da empresa espanhola Elecnor. Esta aquisição coloca a Statkraft entre as três maiores geradoras de energia eólica do país, administrando nove parques eólicos com uma adição de 632 MW ao seu portfólio. A transação inclui ainda projetos em construção e em fase de desenvolvimento, elevando a capacidade total de energia renovável da Statkraft para mais de 2 GW após a integração.

Em um movimento estratégico, a ANEEL estendeu o prazo de fornecimento de energia da termelétrica Porto do Pecém II no ambiente regulado até 2 de setembro de 2028. Isso representa um acréscimo de 246 dias em relação ao prazo anterior, que terminaria em 31 de dezembro de 2027. A usina, localizada no Ceará, com capacidade de 365 MW, é operada pela Eneva.

Em outro acordo relevante, a Wilson Sons firmou contrato com a BP para fornecer serviços logísticos para as atividades de exploração no bloco Pau Brasil, situado no pré-sal da bacia de Santos. Os serviços serão realizados a partir de uma base offshore na Baía de Guanabara, Rio de Janeiro, com duração de um ano, antecipando a campanha Pau Brasil em 2024.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) está pressionando a Petrobras para reativar a unidade de fertilizantes nitrogenados da Bahia, atualmente arrendada à Unigel e fora de operação. A FUP argumenta que a Unigel não está cumprindo as obrigações contratuais do arrendamento, embora a Unigel não tenha se pronunciado sobre a questão.

Em uma recente visita ao Porto de Roterdã, na Holanda, uma delegação da Petrobras, liderada pelo diretor executivo de logística, marketing e mercados, Claudio Romeo Schlosser, buscou oportunidades de negócios. Durante a visita, eles exploraram instalações de amônia, projetos de captura de dióxido de carbono (CO2) e a maior usina de hidrogênio renovável em construção na Europa. Schlosser destacou a importância da viagem para a troca de experiências e soluções sustentáveis voltadas para a transição energética.

Além disso, a Petrobras assinou um memorando de entendimento com a European Energy, uma empresa dinamarquesa especializada em transição energética, para avaliar oportunidades de negócios no desenvolvimento de uma planta de metanol eletrônico no Brasil.

Finalmente, a Ocyan, fornecedora de serviços para a indústria de petróleo e gás, fechou um acordo com a Vidya Technology, uma startup especializada em integridade de ativos. Este é o primeiro investimento da Ocyan em uma startup na forma de venture capital, adquirindo uma participação minoritária. Este acordo permitirá que a Vidya Technology utilize os ativos e expertise técnica da Ocyan para desenvolver projetos inovadores.

Esses desenvolvimentos destacam o compromisso contínuo do Brasil com o avanço em energia renovável, infraestrutura de transmissão e parcerias estratégicas, solidificando sua posição como um player chave no cenário energético global.


André Carvalho

André Carvalho é um aclamado jornalista com expertise abrangendo energia, petróleo, setor naval e indústrias em geral. Ao longo de sua carreira, André tem se destacado por sua capacidade de abordar temas complexos com clareza e profundidade. Seu compromisso com a veracidade e análise criteriosa faz dele uma figura de destaque no Click Petróleo. Seu conhecimento versátil reflete a dinâmica e interconexão dos setores que cobre. Contato: [email protected].

google newa

+

Relacionadas