Indústria

Economistas vêem inflação mais baixa este ano, estimativa de taxa de juros

COMPARTILHE

O mercado voltou a reduzir suas perspectivas para a inflação este ano na pesquisa Focus do Banco Central pela quarta semana consecutiva, em uma pesquisa que ainda precisa refletir o anúncio do novo chefe da autoridade monetária.

A expectativa agora de acordo com a pesquisa divulgada na segunda-feira é de uma inflação de 4,13% em 2018, uma estimativa de 4,23% há uma semana. Para 2019, a projeção foi fixada em 0,01 ponto percentual abaixo, em 4,20 por cento.

O centro da meta oficial para este ano é de 4,50% e, para 2019, de 4,25%. A margem de tolerância para ambos os anos é de 1,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

O governo do presidente eleito  Jair  Bolsonaro anunciou na quinta-feira passada, feriado de proclamação, que o economista Roberto Campos  Neto  assumirá a presidência do BC no lugar de  Ilan  Goldfajn , e que  Mansueto  Almeida  permanecerá como secretário do Tesouro Nacional. O foco está fechado na sexta-feira.

A perspectiva para o dólar na pesquisa manteve-se em 3,70  reais  para este ano e em 3,76  reais  para 2019. Quanto à economia, não houve mudanças nas contas que o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer, respectivamente, 1,36 por cento e 2,50 por cento.

A pesquisa semanal de cem economistas também mostrou que não mudou a perspectiva de que a  Selic  termine este ano em 6,5% e 2019 em 8%. Top-5, o grupo que prevê com mais precisão, vê a taxa de juros básica em 6,5% e em 7,5% no final de cada um desses anos.

Escreva um comentário

2 × dois =