Expansão energética Tri-Nacional: Paraguai avança em plano de gasoduto com Argentina e Brasil

Paraguai lidera discussões para novo gasoduto de US$ 1,5 bilhão conectando Argentina, Paraguai e Brasil, enfrentando proposta concorrente da Bolívia.

O Paraguai está no centro de avançadas negociações para desenvolver um ambicioso projeto de gasoduto de 1,5 bilhão de dólares que conectaria este país com a Argentina e o Brasil, uma iniciativa que promete remodelar os fluxos energéticos da região.

Mauricio Bejarano, vice-ministro de Minas e Energia do Paraguai, revelou que as conversações estão progredindo favoravelmente e um memorando de entendimento deverá ser assinado em junho deste ano. “Há um apoio geral ao projeto, que é visto como uma alternativa estratégica diante da diminuição da produção de gás na Bolívia,” disse Bejarano.

O novo gasoduto, que estenderia por 1.040 quilômetros através de terras áridas e planas no Chaco paraguaio, não só fortaleceria a segurança energética dos países envolvidos mas também poderia afetar diretamente a indústria de fertilizantes brasileira, proporcionando um novo suprimento de gás natural.

Expansão energética Tri-Nacional: Paraguai avança em plano de gasoduto com Argentina e Brasil
Expansão energética Tri-Nacional: Paraguai avança em plano de gasoduto com Argentina e Brasil

No cenário competitivo, a Bolívia também apresentou uma proposta que envolveria a reversão do fluxo de seus gasodutos existentes para transportar gás de Vaca Muerta, na Argentina, ao norte, através de sua rede existente. No entanto, a opção do Paraguai ganha força à medida que as partes interessadas se reúnem para discussões adicionais e análises de viabilidade.

Autoridades paraguaias têm trabalhado ativamente para atrair investidores e apoio político. Encontros recentes em São Paulo e Assunção com investidores e funcionários energéticos do Brasil e da Argentina têm sinalizado um interesse crescente no projeto.

“O Brasil representa a demanda crítica para qualquer projeto energético na região, e nossa capacidade de fornecer uma solução viável é crucial para o sucesso,” comentou Victorio Oxilia, especialista em energia e professor na Universidade Nacional de Assunção.

O projeto não apenas enfrenta desafios técnicos e econômicos, mas também precisa se alinhar com as políticas ambientais e regulatórias, que estão cada vez mais rigorosas na América Latina. Ainda assim, o otimismo permanece alto entre os principais stakeholders que veem no gasoduto uma promissora solução de longo prazo para a integração energética regional.


André Carvalho

André Carvalho é um economista e professor que se especializa em economia do trabalho e benefícios sociais. Sua pesquisa e ensino enfocam como as políticas econômicas podem ser estruturadas para melhorar a vida dos trabalhadores e reduzir a desigualdade social, contribuindo significativamente para debates políticos e acadêmicos nesse campo.

google newa

+

Relacionadas