Extensão de período exploratório da ExxonMobil no Brasil

Com mais de 40 anos de experiência em desenvolvimento em projetos de GNL, a ExxonMobil continua a trazer esse recurso vital (petróleo) de energia para clientes em todo o mundo.

Com um histórico comprovado de sucesso com recursos de execução de projetos de classe mundial, solidez e disciplina financeira e um histórico comprovado de confiabilidade e entrega pontual.

A Exxon Mobil Corporation está comprometida em ser a principal empresa de fabricação de petróleo e produtos químicos do mundo. Para isso, quer alcançar continuamente resultados financeiros e operacionais superiores, ao mesmo tempo em que adere a altos padrões éticos.  A ExxonMobil possui um amplo portfólio de marcas de produtos petroquímicos e soluções de serviços. Esses produtos desempenham um papel fundamental ao permitir a fabricação de produtos acessíveis, sustentáveis ​​e seguros que estão ajudando a atender às crescentes demandas de uma população global crescente.

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) estendeu o primeiro período exploratório de quatro blocos da ExxonMobil no Brasil. A medida será aplicada às áreas SEAL-M-575, SEAL-M-637 e SEAL-M-505, na Bacia de Sergipe-Alagoas; e também para o bloco CM-789, na Bacia de Campos. A prorrogação do prazo foi concedida no âmbito da Resolução ANP nº 815/2020, que permite a prorrogação de determinados prazos contratuais da Fase de Exploração por um período de nove meses.

De acordo com atualização publicada pela agência em seu site, o primeiro período exploratório dos três blocos da ExxonMobil na Bacia de Sergipe-Alagoas foi prorrogado de 14 de fevereiro de 2027 para 14 de novembro de 2027. O bloco de Campos foi prorrogado de 11 de setembro de 2025 para 11 de junho de 2026.

Os blocos SEAL-M-575, SEAL-M-637 e SEAL-M-505 foram adquiridos pela Exxon em 2019, durante o 1º Ciclo da Oferta Permanente. A empresa americana tem 50% de participação e operação das áreas, em parceria com a Enauta (30%) e Murphy (20%). Esses blocos estão próximos a outras áreas exploratórias que pertencem ao mesmo consórcio. Conforme informamos, em março deste ano, a Exxon anunciou que o primeiro poço perfurado pela empresa em Sergipe-Alagoas, no bloco SEAL-M-428 (prospecto Cutthroat), terminou sem a ocorrência de hidrocarbonetos.

A petroleira norte-americana teve um pouco mais de sorte no caso do bloco da Bacia de Campos. Em julho do ano passado, a empresa declarou ter encontrado indícios de óleo e gás no bloco CM-789, em lâmina d’água de 2.681 metros. A descoberta foi feita no poço 1-EMEB-1A-RJS (também chamado de Opal-1A).

Recentemente, a ExxonMobil revelou mudanças em sua liderança no Brasil. O executivo Alberto Ferrin foi anunciado como o novo presidente da petroleira no país. “O Brasil continua sendo um país estratégico para a ExxonMobil globalmente. Em 2024, iniciaremos a fase de produção do campo Bacalhau, com nossos parceiros Equinor, Petrogal e PPSA. Continuamos também a procurar oportunidades que agreguem valor na área de exploração. A nossa maior força são as nossas pessoas. Temos uma equipe de alto nível. Tenho orgulho de representar e liderar nossa força de trabalho”, declarou o novo presidente da empresa.


COMPARTILHAR