Lucro da Petrobras atinge $9 bi no segundo trimestre

O aumento de quase 65pc no preço do petróleo Brent elevou os resultados da Petrobras no segundo trimestre, com um lucro de $9 bilhões no período.

O balanço da estatal pode reacender críticas de parte da classe política em meio aos esforços para conter a inflação dos combustíveis.

O preço médio do petróleo bruto ficou em $113,78/barril no segundo trimestre, em comparação com $68,83/b no mesmo período do ano passado. As receitas da Petrobras acompanharam o aumento das cotações do barril, crescendo para $34,7 bilhões, ante $20,9 bilhões no mesmo período em 2021.

Paradas para manutenção mantiveram a produção doméstica da Petrobras em 2,114 milhões de b/dia, queda de 5pc em relação ao ano anterior.

As exportações de petróleo da empresa ficaram em 531.000 b/d, em média, redução de 28,5pc na base anual. Já a receita proveniente das exportações aumentou 18,7pc, para $5,593 bilhões no segundo trimestre, antes $4,711 bilhões no ano passado. A parcela de petróleo com destino à China encolheu de 45pc em 2021 para 15pc neste ano. O incremento de fluxo de petróleo russo para China e Índia no período desviou mais exportações da estatal para Europa e países da América Latina, uma mudança que a empresa informou estar pronta para atender por conta de anos de desenvolvimento de mercado.

O aumento dos custos de exploração de petróleo, principalmente pela combinação de variação cambial e menor produção, pesou nos números de exploração e produção da Petrobras, que ficaram em $10,8 bilhões no trimestre, ainda assim mais que o dobro do apurado no mesmo período em 2021.

Os lucros do segmento de downstream (refino, distribuição e revenda) avançaram 65pc para $2,761 bilhões no segundo trimestre graças às margens mais elevadas nas vendas domésticas de combustíveis, que acompanharam a alta do mercado internacional.

O conselho da Petrobras aprovou o pagamento recorde de dividendos aos acionistas de R$87,8 bilhões ($16,9 bilhões), quase o dobro dos dividendos do primeiro trimestre. O pagamento será escalonado em agosto e setembro, o que deve ajudar as contas do governo, acionista controlador da empresa, antes das eleições.

A companhia informou que o plano de investimentos de $68 bilhões para o período de 2022-26 se baseia no fluxo de caixa operacional e não deve afetar a alavancagem financeira.

“Não há investimentos represados por restrição financeira ou orçamentária e a decisão de uso dos recursos excedentes para remunerar os acionistas se apresenta como a de maior eficiência para otimização da alocação do caixa”, informou a empresa.

A Petrobras encerrou o segundo trimestre com uma dívida bruta de cerca de $53,6 bilhões, redução de 8,5pc em relação ao primeiro trimestre de 2022.


COMPARTILHAR