Navios movidos a GNL respondem por 60% dos novos pedidos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on google
Google+

Espera-se que seis dos 10 novos navios encomendados até 2025 sejam embarcações movidas a GNL devido a padrões ambientais mais rigorosos no transporte marítimo, segundo um estudo sul-coreano.

Um relatório conjunto do Korea Development Bank e da Korea Trade-Investment Promotion Agency previu que cerca de 60,3% das novas encomendas mundiais serão navios movidos a GNL até 2025.

O relatório, baseado em dados da Clarksons e da Lloyd’s Register (LR), estimou que até 1.925 novos navios abastecidos com GNL seriam construídos até 2025. A demanda por navios tanque de GNL também deve saltar mais de dez vezes, de 313.000 dwt em 2016 para 3,2 m dwt em 2030.

Com os construtores navais coreanos prevendo construir mais de 60% dos grandes navios movidos a GNL do mundo, o estudo estimou o mercado doméstico de equipamentos para navios de GNL a aumentar para KRW12trn (US $ 10,8 bilhões) em 2020 de KRW3trn em 2017.

Em novembro de 2018, o governo coreano revelou um plano ambicioso para encomendar 140 navios movidos a GNL até 2025 para ajudar a revitalizar a indústria de construção naval do país.

O uso de GNL como combustível naval está ganhando atenção, já que a navegação global está enfrentando regulamentações ambientais mais severas e sob pressão para operar embarcações mais limpas.

A partir de 1 de janeiro de 2020, será obrigatório, nos termos da regulamentação da OMI, que os navios queimem combustível de bancas com um teor máximo de enxofre de 0,5%, abaixo do limite atual de 3,5%. O uso de GNL é considerado uma alternativa viável para atender à regulamentação da IMO, já que o gás limpo é virtualmente livre de enxofre e emite 20% a menos de gás de efeito estufa em comparação com o óleo combustível convencional.

Veja Também

Rolar para cima