Petrobrás recebe maior oferta de petróleo offshore da Ouro Preto

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on google
Google+

A empresa brasileira de energia Ouro Preto Óleo e Gás fez a maior oferta para adquirir um par de clusters petrolíferos brasileiros da Petrobras SA, disseram duas fontes com conhecimento do assunto.

A Petrobras, como é conhecida a companhia de petróleo, disse na quinta-feira que as licitações para os campos de águas rasas de Pampo e Enchova ultrapassaram US $ 1 bilhão, mas não divulgaram a maior oferta ou vencedor.

Ouro Preto, liderada por Rodolfo Landim, ex-presidente da OGX, uma empresa falida de petróleo e gás liderada pelo bilionário Eike Batista, tem participações em várias bacias por todo o Brasil.

A empresa estava competindo contra pelo menos outro concorrente: a Trident Energy, uma empresa lastreada em Warburg Pincus especializada em ativos de petróleo de meia-idade, que entregou uma oferta em março.

Juntos, os campos produzem quase 39.000 barris de óleo equivalente por dia, de acordo com dados de julho de 2018, tornando-os o maior ativo de produção madura no portfólio de desinvestimento da Petrobras. Ambos estão localizados na costa do Rio de Janeiro.

A Petrobras está em conversações com potenciais compradores desses clusters de petróleo há cerca de um ano.

Em julho de 2018, entrou em negociações exclusivas com Ouro Preto, mas a empresa não listada posteriormente baixou a oferta, permitindo que a Trident assumisse a liderança. Sob as regras de desinvestimentos da Petrobras, no entanto, foi necessário abrir uma oferta final em 5 de junho.

A Petrobras colocou dezenas de ativos à venda em uma tentativa de reduzir a dívida e reorientar a empresa para exploração e produção em águas profundas.

Ouro Preto e Petrobras não comentaram imediatamente sobre o assunto.

Veja Também

Rolar para cima