Offshore

Petrobrás recebe maior oferta de petróleo offshore da Ouro Preto

A empresa brasileira de energia Ouro Preto Óleo e Gás fez a maior oferta para adquirir um par de clusters petrolíferos brasileiros da Petrobras SA, disseram duas fontes com conhecimento do assunto.

A Petrobras, como é conhecida a companhia de petróleo, disse na quinta-feira que as licitações para os campos de águas rasas de Pampo e Enchova ultrapassaram US $ 1 bilhão, mas não divulgaram a maior oferta ou vencedor.

Ouro Preto, liderada por Rodolfo Landim, ex-presidente da OGX, uma empresa falida de petróleo e gás liderada pelo bilionário Eike Batista, tem participações em várias bacias por todo o Brasil.

A empresa estava competindo contra pelo menos outro concorrente: a Trident Energy, uma empresa lastreada em Warburg Pincus especializada em ativos de petróleo de meia-idade, que entregou uma oferta em março.

Juntos, os campos produzem quase 39.000 barris de óleo equivalente por dia, de acordo com dados de julho de 2018, tornando-os o maior ativo de produção madura no portfólio de desinvestimento da Petrobras. Ambos estão localizados na costa do Rio de Janeiro.

A Petrobras está em conversações com potenciais compradores desses clusters de petróleo há cerca de um ano.

Em julho de 2018, entrou em negociações exclusivas com Ouro Preto, mas a empresa não listada posteriormente baixou a oferta, permitindo que a Trident assumisse a liderança. Sob as regras de desinvestimentos da Petrobras, no entanto, foi necessário abrir uma oferta final em 5 de junho.

A Petrobras colocou dezenas de ativos à venda em uma tentativa de reduzir a dívida e reorientar a empresa para exploração e produção em águas profundas.

Ouro Preto e Petrobras não comentaram imediatamente sobre o assunto.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − dois =

Subir