Preços do petróleo caem em meio a relatório: Reunião da OPEP+ pode ser adiada

"Em um contexto de declínio nos preços do petróleo, surge a possibilidade de adiamento da reunião da OPEP+, inicialmente prevista para 26 de novembro. Este artigo explora as implicações desse cenário e as expectativas do mercado."

Queda Acentuada nos Preços do Petróleo Sugere Potencial Adiamento da Assembleia OPEP+

A manhã de quarta-feira foi marcada por uma queda acentuada nos preços do petróleo, desencadeada por um relatório indicando que a iminente reunião do grupo OPEP+ poderá não ocorrer conforme planejado.

Preços do petróleo caem em meio a relatório: Reunião da OPEP+ pode ser adiada
Foto- Freepik

Originalmente agendada para o dia 26 de novembro, a conferência dos ministros da aliança OPEP+ enfrenta um possível adiamento. Segundo fontes anônimas citadas pela Bloomberg, a Arábia Saudita, na posição de líder da OPEP, mostrou-se descontente com os níveis de produção atuais dos demais membros, o que poderia motivar o adiamento da reunião por um tempo indeterminado.

As conversas entre a Arábia Saudita e outros países produtores de petróleo acerca da produção atual estão intensificando. Pierre Andurand, um renomado gestor de fundos de hedge, mencionou à Bloomberg que o Reino Saudita provavelmente buscará convencer os membros da Opep+ a implementarem cortes mais significativos na produção.

Esta incerteza resultou em uma queda de 1,7% nos preços do petróleo na manhã de quarta-feira. O mercado permanece atento tanto à reunião da OPEP+ quanto ao relatório semanal de estoques de petróleo dos EUA da EIA, previsto para o mesmo dia.

A especulação cresce em torno da Arábia Saudita, principal produtor da OPEP, possivelmente estendendo seu corte voluntário de 1 milhão de barris por dia (bpd) até 2024. Este movimento vem em resposta à recente queda nos preços do petróleo para US$ 80 e à demanda tipicamente mais fraca no primeiro trimestre de cada ano. Além disso, intensificam-se os rumores de que a OPEP+ poderá anunciar um corte mais profundo na sua próxima reunião.

Estrategistas do ING, Warren Patterson e Ewa Manthey, expressaram na segunda-feira que, apesar das expectativas de que Arábia Saudita e Rússia prolonguem seus cortes voluntários adicionais até o início de 2024, permanece incerto se o grupo Opep+ como um todo fará cortes adicionais.

Os estrategistas também observaram que um corte mais profundo por parte do grupo, aliado à suspensão voluntária da redução por sauditas e russos, poderia neutralizar o excedente de mercado previsto para o primeiro trimestre de 2024.


Suzana Melo

Graduada em Jornalismo pela Faculdade do Rio de Janeiro, Suzana Melo é uma voz respeitada no universo do petróleo, energia e temas correlatos. Com uma abordagem perspicaz e informada, Suzana tem contribuído significativamente para o entendimento desses setores no Click Petróleo, trazendo análises aprofundadas e notícias atualizadas. Seu compromisso com a veracidade e clareza a estabeleceu como uma referência no jornalismo energético. Contato: [email protected].

google newa

+

Relacionadas