Saipem garante contratos de US$ 3,7 bilhões para projeto Kaminho da TotalEnergies

Saipem conquista contratos milionários para projeto petrolífero Kaminho da TotalEnergies em Angola, impulsionando o setor offshore.

A Saipem, renomada empresa de serviços de engenharia e construção para o setor de energia, assegurou três novos contratos com a TotalEnergies para o ambicioso projeto Kaminho, com foco no desenvolvimento dos campos de petróleo de Cameia e Golfinho na costa de Angola. Os contratos, avaliados em impressionantes 3,7 bilhões de dólares, solidificam a parceria entre as duas empresas e promovem investimentos significativos na indústria petrolífera angolana.

O primeiro contrato, concedido pela subsidiária TotalEnergies EP Angola Block 20, abrange uma ampla gama de serviços, incluindo Engenharia, Aprovisionamento, Construção, Transporte e Comissionamento do navio Kaminho Floating Production Storage and Offloading (FPSO). Este navio desempenhará um papel crucial no processo de produção e armazenamento de petróleo na região.

Saipem garante contratos de US$ 3,7 bilhões para projeto Kaminho da TotalEnergies
Foto: Reprodução

O segundo contrato envolve a Operação e Manutenção (O&M) do navio FPSO pelo período inicial de 12 anos, com a possibilidade de extensão por mais 8 anos. Essa iniciativa aproveitará a vasta experiência da Saipem na operação de FPSOs em Angola, contribuindo para a eficiência e a segurança das operações.

O terceiro contrato concentra-se na engenharia e instalação de um pacote Submarino, Umbilicais, Risers e Flowlines (SURF), incluindo aproximadamente 30 km de 8” e 10″ linhas de fluxo e risers submarinos e umbilicais. Essas estruturas serão fabricadas no estaleiro local da Saipem em Ambriz, fortalecendo o desenvolvimento econômico regional.

Além disso, a Saipem planeja envolver amplamente a cadeia de abastecimento local para atividades de logística e fabricação, destacando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável e a criação de empregos na comunidade.

A decisão final de investimento (FID) para o projeto Kaminho foi tomada pela TotalEnergies e seus parceiros Petronas e Sonangol em 21 de maio de 2024. Prevê-se que a produção inicie em 2028, com uma meta de produção de 70.000 barris de petróleo por dia, segundo a TotalEnergies.

Esses contratos representam um marco significativo no desenvolvimento do setor petrolífero angolano, além de fortalecerem a posição da Saipem como líder global em soluções de energia offshore. O projeto Kaminho promete impulsionar a economia local e contribuir para o suprimento global de energia nas próximas décadas.


Joice Batista

Especialista em direitos trabalhistas, Joice Batista dedica-se ao estudo da relação entre bem-estar social e legislação trabalhista. Sua pesquisa influencia políticas públicas voltadas para a melhoria das condições de trabalho e a sustentabilidade econômica

google newa

+

Relacionadas