Macaé

Shell, Mitsubishi e Pátria vão apostar tudo em Macaé e gerar milhares de empregos; saiba tudo

COMPARTILHE

Shell, Mitsubishi Hitachi Power Systems (MHPS) e Pátria Investimentos fecharam parceria para investir US$ 700 milhões na térmica a gás Marlim Azul, com capacidade instalada para gerar 565 MW, em Macaé (RJ). A usina foi o primeiro projeto vencedor dos leilões de energia com gás do pré-sal brasileiro. A planta entrará em operação em 2022, disponibilizando ainda energia adicional a ser vendida no mercado livre.

A Shell será responsável pelo fornecimento do gás e pela comercialização da energia. A empresa é atualmente a segunda maior produtora de petróleo e gás do país e principal parceira da Petrobras na produção do pré-sal. De acordo com dados da ANP, a Shell produziu em dezembro 329 mil barris por dia de petróleo e 13 milhões de m3/dia de gás natural, sendo a segunda maior produtora de petróleo e gás do país, ficando justamente atrás da estatal.

“Esse é um passo estratégico fundamental para a Shell no Brasil na diversificação de seu portfólio e na transição energética no país. Buscávamos uma maneira eficiente de monetizar o gás natural que será produzido nos campos do pré-sal, onde nossa presença tem aumentado significativamente. Esse projeto permitirá uma sinergia entre nossos negócios de águas profundas, gás e energia elétrica, e para isso encontramos parceiros comprometidos e alinhados com nossos propósitos,” afirmou o presidente da Shell Brasil Petróleo Ltda, André Araujo.

O projeto será 50,1% do Pátria Investimentos, 29,9% do Grupo Shell e 20% da MHPS. No pico da construção da usina, o número de empregos diretos criados poderá chegar a 1.500.

Escreva um comentário

3 + dois =